quarta-feira, 29 de junho de 2016

Uma bola de fogo

“Disse-me em dialecto: “Tu ainda perdes tempo com essas coisas, Lenù? Nós andamos a voar sobre uma bola de fogo. A parte que arrefeceu flutua sobre a lava. Nessa parte construímos os edifícios, as pontes e as estradas. De tempos a tempos a lava sai do Vesúvio, ou então provoca um terremoto que destrói tudo. Há micróbios por todo o lado, que nos fazem adoecer e morrer. Há guerras. Há por aí uma miséria que nos torna a todos cruéis. A cada segundo pode acontecer qualquer coisa que nos faz sofrer de tal modo, que não há lágrimas que cheguem. E tu, o que fazes? Um curso de Teologia em que te esforças para compreender o que é o Espírito Santo? Esquece isso, quem inventou o mundo foi o Diabo, e não o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Queres ver o colar de pérolas que o Stefano me ofereceu?”

- Elena Ferrante, A Amiga Genial.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Won’t you celebrate with me

won’t you celebrate with me
what i have shaped into
a kind of life? i had no model.
born in babylon
both nonwhite and woman
what did i see to be except myself?
i made it up
here on this bridge between
starshine and clay,
my one hand holding tight
my other hand; come celebrate
with me that everyday
something has tried to kill me
and has failed.

- Lucille Clifton

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

A escrita é uma pintura.

Este que vês, de cores desprovido,
o meu retrato sem primores é

e dos falsos temores já despido
em sua luz oculta põe a fé.

Do oculto sentido dolorido,
este que vês, lúcido espelho é
e do passado o grito reduzido,
o estrago oculto pela mão da fé.

Oculto nele e nele convertido
do tempo ido excusa o cruel trato,
que o tempo em tudo apaga o sentido;

E do meu sonho transformado em acto,
do engano do mundo já despido,
este que vês, é o meu retrato.



- Ana Hatherly (1929-2015)